14 de set de 2010

Bragança, como esteira de luz e bonança!

por Jéssica Souza
foto Alexandre Moraes
Segue abaixo um trecho do texto do jornal beira do rio, da Universidade Federal do Pará.

Como esteira de luz e bonança / A esplender para nossa emoção / Esta terra ideal de Bragança / É de Deus a melhor criação". Essa é a estrofe inicial do hino escrito pelo poeta Antônio Telles de Castro e Sousa para uma das cidades mais antigas do Pará, localizada no nordeste paraense, a 220 quilômetros da capital Belém. Os versos remetem à biodiversidade típica das terras amazônidas, que, no caso bragantino, se traduz em uma vasta área de manguezal, praias de mar e de água doce, como a formada pelo Rio Caeté, às margens de onde surgiu o primeiro povoado que, há 388 anos, deu origem ao município.. leia mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário