27 de nov de 2009

Feira de Ciências da Escola Rio Caeté

Parabéns aos nossos alunos da 6ª série que apresentaram o projeto educação ambiental na escola RIO CAETÉ e os alunos da 501 com o projeto Turismo em Bragança, ambos vencedores, 1º e 2º lugar na feira. Para relaxar, após um grande trabalho olha a nossa pose na foto, só relaxando e dando uma de turistas encantados por Bragança.

2 de nov de 2009

Concurso de Redação

Resultado do concurso de Redação, cujo tema foi questões ambientais (extinção dos animais, desmatamento, lixo, poluição dos rios, conservação da escola, aquecimento global, queimadas, projetos ambientais e etc).

Participantes do concurso: turmas 101 e 102 manhã, 101,102,101 EJA e 102 EJA noite.

Vencedora do concurso DAISY SOUZA SANTANA (101 manhã)

abaixo a redação

Projetos Ambientais:

Projetos que nos ajudam a sobreviver.

Todo projeto tem um objetivo, que pode ser de divulgar, solucionar, estimular, informar. Projetos ambientais também são assim, informam os problemas ligados ao meio ambiente, buscam e divulgam soluções, nos estimulam a colaborar fazendo a nossa parte e podem ser iniciados por qualquer um de nós. Grandes empresas iniciaram grandes projetos, entre elas estão a ypê, TV globo, chamex e faber-castell.

Essas empresas têm uma grande vantagem, são conhecidas pela grande massa e por isso seus projetos divulgam, estimulam e informam mais. Há um certo tempo, a ypê iniciou um projeto de reflorestamento em que comprando um de seus produtos colaboramos com o plantio de mudas em áreas desmatadas, um projeto semelhante ao da chamex e ao da faber-castell, que utilizam a madeira das árvores( para a fabricação de papeis, cadernos, lápis...) derrubando-as e plantando novamente.

A TV globo está envolvida, duas dessas iniciativas são o plantio de arvores e as vinhetas informativas, que apesar de serem bem rápidas mexem com todos nós, fazendo com que posamos parar, refletir e agir. O projeto TAMAR, tão conhecido, fez até uma parceria com um fabricante de macarrão instantâneo, ao comprarmos um desses produtos ajudamos automaticamente a esse projeto que tem um objetivo muito especial, preservar as tartarugas marinhas.

Com tudo podemos concluir que com certeza esses projetos nos ajudam a sobreviver. O plantio de árvores é uma ajuda de peso contra o aquecimento global, a preservação de espécies silvestres e etc. e a exposição de informações feitas por essas e outras empresas também. Temos que tomar consciência de que não são só as grandes empresas, instituições e os governos que têm a responsabilidade de mudar esse quadro crítico em que se encontra o nosso planeta, cada um de nós pode e deve fazer alguma coisa, desde que se nos engajarmos em algum grande projeto, até separar e reciclar o lixo de nossas casas. Por isso corra tome logo uma providência, pois “Os dias correm, somem e como o tempo não vão voltar”.

Daisy Souza Santana

27 de out de 2009

Semeando Esperança

No dia 16/10, os alunos da 102 manhã da EEEFM Rio Caeté acompanhados da profª Kátia Correa e eu fomos à Fazenda da Esperança - como se intitulam as comunidades terapêuticas que abrigam jovens dependentes químicos ansiosos por se ver livre das drogas e do álcool - entregar pacotes de café doados pelos próprios alunos. Na fazenda, os alunos visitaram as instalações como as do projeto Mandala e conheceram um pouco mais sobre a obra social lá desenvolvida. Você também pode conhecer o trabalho da Fazenda da Esperança clicando aqui!

17 de out de 2009

Uma aula de Educação Ambiental!

No dia 06/10 (terça-feira), nós professores, Tarcísio, Katia e Lina juntamente com os alunos da turma 101 da manhã demos início às atividades do projeto de Educação Ambiental da Escola Rio Caeté que tem como objetivo central buscar à integração da escola junto a comunidade e proporcionar condições para a formação da consciência ambiental e para a promoção de valores, atitudes e hábitos ligados ao uso responsável dos recursos naturais, a preservação do meio ambiente e a melhoria da qualidade de vida e da educação. Assim descrevo a aula passeio realizada pelo grupo: "Em nossa primeira atividade visitamos uma das nascentes do rio Cereja localizada na EFAC. Lá os alunos aprenderam sobre a importância da preservação das nascentes (fonte de vida para os rios) e como o homem vem alterando de forma drástica este ambiente com desmatameto de mata ciliar, produção de carvão vegetal, açoreamento e contaminação química por ácido cianídrico( que causa diminuição do númerdo de peixes, devido o excesso de mandioca na água para amolecimento e posterior produção de farinha). Saindo da propriedade da EFAC visitamos o igarapé do tubo na BR308 que está totalmente poluído por residuos sólidos e precisa ser limpo, pois é um local muito frequentado pela população da periferia de Bragança. Antes, os alunos fizeram a festa num igarapé bem próximo da nascente ( a montante do tubo, assim longe de contaminação). Encontramos também um esqueleto e levamos pro laboratório. Até brincamos dizendo que foi nosso achado arqueológico. Aproveitamos para agradecer nosso guia nessa aventura, o Gil, filho da profª. Lina."

16 de jun de 2009

ENEM 2009

O Exame Nacional do Ensino Médio está diferente. Agora, ele servirá como processo seletivo para ingresso nas universidades e nos institutos federais. A prova está mais abrangente, com questões mais próximas da realidade dos estudantes. O novo exame também ajudará a melhorar a qualidade do ensino médio. As inscrições para a prova deste ano, que será realizada em outubro, estão abertas até 17 de julho e devem ser feitas no portal do Ministério da Educação pelo endereço http://www.enem.inep.gov.br/

Vergonha no Pará

Pará Quarta-feira, 10/06/2009, 07:47h Pará ainda tem 103 mil jovens fora da escola Pará é campeão do Norte em alunos fora da escola O Pará está entre os Estados brasileiros com maiores índices de evasão escolar e o líder entre os estados da região Norte. No total, 103 mil adolescentes, de 15 a 17 anos, estavam fora da escola em 2007. Na região Norte, são 195 mil fora das salas de aula. Os dados foram divulgados na manhã de ontem durante o lançamento do relatório “Situação da Infância e da Adolescência Brasileira 2009”, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef ). A pesquisa mostra ainda que o ensino fundamental do Pará é o pior do país. De acordo com o relatório do Unicef, apenas 22,3% do total de matriculados na 1ª série do Ensino Fundamental conseguem concluir a 8ª série. Os números representam que, de 331.266 matriculados, apenas 73.755 concluem o ensino médio. No Brasil, o percentual é de 53,7%. Já no ensino médio, a situação é um pouco menor, mas o percentual de alunos matriculados no 1º ano que abandonam as escolas antes de concluir o ensino médio, de 43,9%, ainda é menor que a média de 50,9%. A precariedade da aprendizagem no Brasil abrange não somente o estado do Pará, como toda a região Norte. A pesquisa revela que o percentual de crianças fora da Escola na Região Norte é duas vezes maior do que na Região Sudeste. E ainda, das 680 mil crianças e adolescentes com idades entre 7 e 14 anos fora das salas de aula, 450 mil são negras. De acordo com o coordenador do Unicef no Pará, Fábio Moraes, não se pode analisar esse cenário isoladamente. Para ele, a falta de oportunidade de crianças e adolescentes em aprender está inserida em um contexto muito maior, que é a desigualdade. “Se nós formos analisar todos os dados, a região Norte em si já é extremamente desfavorável em relação às regiões Sul e Sudeste. No Norte os negros, as crianças das áreas rurais e indígenas têm menos chances que em outras regiões”, explica. >> Faltam políticas públicas em vários setores Para ele, o alto número da evasão escolar e de crianças fora das escolas é resultado da falta de políticas públicas voltadas, não só para a área da educação, mas para a saúde, lazer, a segurança, entre outras. “Todas as áreas estão ligadas e tudo isso contribui para o sucesso ou não de uma região no segmento da educação”. Entre as recomendações destacadas no relatório sobre a infância e adolescência no Brasil estão: potencializar os avanços e radicalizar na redução ou eliminação das desigualdades; universalização de direitos; conhecimento e reconhecimento da situação das crianças e adolescentes mais vulneráveis. Roberto Ferraz, presidente do Conselho Educacional de Educação, justifica a situação no fato do Estado possuir uma extensão territorial grande e a maioria das escolas estarem localizadas na área rural. Para ele, a dificuldade desses alunos é maior se comparada coma de outros Estados. “Aqui ainda há muita dificuldade em se chegar às escolas por causa da distância em alguns municípios”. Além disso, Ferraz destaca a falta de investimentos na formação de professores e construção de escolas. “É preciso que o governo invista em políticas públicas para mudar essa realidade. O poder aquisitivo, inclusive, ainda é um dos fatores que contribuem para a evasão escolar. É preciso investir também nesse aspecto”, finaliza. (Diário do Pará)

28 de mai de 2009

Vou de Bike!!

por Christina Biltoveni

Sabe aquele dilema: “É melhor casar ou comprar uma bicicleta?” Se quer ficar em forma, levantar o astral e colaborar com o planeta, aposte na segunda opção. Pedalar é tudo de bom para deixar o corpo malhado e a mente tranqüila. Sem contar que a bike não polui o ambiente e não faz barulho, garantindo um mundo melhor. É verdade que andar de bicicleta nas grandes cidades brasileiras não é fácil, porque falta infra-estrutura. Mas tudo está melhorando: um bicicletário aqui, uma ciclovia ali... A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) estima que mais de 24 milhões de pessoas pedalam todos os dias. Dessas, cerca de 53% usam a bike como meio de transporte. Ou seja: tem bastante gente descobrindo que circular por aí de bicicleta é uma mão na roda. Apesar de ter que driblar carros, ônibus e poluição, você chega ao destino final disposta e feliz. “E não precisa pedalar quilômetros e quilômetros para obter benefícios. Indo de bike até a padaria diariamente, por exemplo, seu fôlego melhora e você ganha mais ânimo. Além disso, cada pedalada representa uma contribuição e tanto para a economia de poluentes na atmosfera”, garante Marcelo Hendel, professor de educação física e especialista em treinamento de mountain bike, de Campinas (SP). Portanto, tire a bicicleta da garagem e também adote essa idéia. Você vai notar que o mundo de cima de uma bike é muito mais divertido. Pronto para experimentar?

1. emagrece Andar de bike é um exercício aeróbico, portanto queima calorias. O valor exato varia de acordo com o peso, a altura, a idade e o ritmo de cada pessoa. Mas a média é de 400 calorias por hora (para uma mulher com 60 quilos).

2. aumenta o fôlego Quando você mexe o corpo, todo o organismo, especialmente os músculos, pede por oxigênio, que é o catalisador que transforma a glicose em energia. Aí os pulmões são obrigados a trabalhar mais rápido para garantir o suprimento dessa substância e a expulsão do gás carbônico (o resultado tóxico da reação). Quem pedala habitua os pulmões a essa sobrecarga.

3. deixa as pernas torneadas A musculatura dessa região é bem solicitada durante a pedalada. Resultado: coxas firmes e panturrilhas trabalhadas. O aumento de massa muscular, no entanto, é discreto – nada que se iguale a um treino de musculação. Mas como andar de bike também queima o excesso de gordura, a definição fica evidente.

4. exercita a cabeça O momento em que você está em cima da bike é aquele em que as grandes idéias surgem. Esse fato tem tudo a ver com o exercício. Fazer uma atividade aeróbica regular gera uma melhora significativa da memória e de outras habilidades mentais. Porém, isso regride quando você pára de se exercitar.

5. economiza dinheiro Ao trocar o carro pela bike, você deixa de gastar uma tremenda grana com combustível. Isso significa um bom saldo na conta bancária.

6. alivia o stress Como qualquer outro exercício, pedalar estimula a produção de endorfina, neurotransmissor que dá a sensação de bem-estar. Ou seja: ao final da pedalada, você vai ganhar uma tremenda disposição para enfrentar o dia-a-dia.

7. ajuda a salvar o planeta Um dos gases responsáveis pelo efeito estufa é o dióxido de carbono (CO2 ). E a maior parte dele vem da queima de combustíveis. Esse gás, quando presente na atmosfera, forma uma barreira, impedindo que a radiação solar refletida pela superfície da Terra volte para o espaço – criando, assim, o efeito de uma estufa. Com isso, as temperaturas do ar, dos oceanos e dos lagos aumentam e as funções dos ecossistemas começam a mudar. Segundo especialistas, já existe um volume de CO2 na atmosfera que vai afetar a nossa vida por mais de 100 anos. Ao andar de bike, você não lança dióxido de carbono, ajudando a reduzir as concentrações do gás e deixando o planeta menos poluído.

8. previne doenças Se pesquisar a respeito das vantagens de praticar um esporte regularmente, vai perder alguns dias de tantos estudos que existem... Quem pedala mantém o organismo ativo e não deixa que vários mecanismos enferrugem. Você fica resistente a várias doenças, como osteoporose e problemas cardíacos.

9. dribla os congestionamentos A bicicleta é o segundo meio de transporte mais rápido nas grandes cidades na hora do rush, perdendo apenas para a moto. Mas é preciso ficar atenta às normas de segurança para circular no meio do trânsito (veja no site).

10. facilita conhecer a cidade

Presa dentro do carro, você nem imagina quanta coisa bacana é possível encontrar nas ruas e avenidas da região onde mora. Sentada na bicicleta, além de sentir aquele vento gostoso no rosto, que dá sensação de liberdade, seu campo de visão se amplia e você consegue visualizar melhor o ambiente.

27 de mai de 2009

DIA DO GEÓGRAFO 29/05

Profissão: Geógrafo

A título de curiosidade, vale a pena saber que a profissão começou com os chineses, que foram os pioneiros na organização de dados geográficos sobre a região onde vivem.

Atualmente, para a formação em Geografia, pode-se optar por alguns caminhos: a Licenciatura, o Bacharelado ou ambos. Escolhendo Licenciatura, atuará no ensino fundamental e médio. Optando pelo Bacharelado, poderá atuar como profissional geógrafo em empresas públicas e privadas, Prefeituras, Secretarias de Estado, por exemplo, ou também como autônomo. Em 1979, a profissão de geógrafo foi regulamentada (Lei no 6664); para exercê-la, é preciso ter bacharelado e registro no CREA.

O objeto de estudo da Geografia é - como nas demais ciências humanas - a sociedade e sua organização espacial, que é resultante das relações sociais que vão se desenvolvendo ao longo da história, transformando a natureza. A natureza, por sua vez, transformada pelo trabalho social, é detectada como um espaço geográfico.

O trabalho desenvolvido pelo geógrafo requer um conhecimento sólido da natureza, por meio do estudo dos aspectos que influem de forma direta no dia-a-dia das sociedades e em sua organização espacial, suas inter-relações, bem como um conhecimento apurado dos aspectos estruturais da sociedade e de como ela se apropria da natureza.

O geógrafo pode atuar como professor do ensino fundamental ou ensino médio e, se tiver pós-graduação, poderá trabalhar em universidades como professor/pesquisador. Além disso, o mercado de trabalho foi ampliado devido à necessidade desse profissional nos planos diretores do município, nas comissões de meio-ambiente, sem falar que os problemas urbanos e as mudanças no espaço mundial vêm solicitando a presença de geógrafos em cursos, palestras, debates e outros eventos. Estudar os aspectos físicos da Terra, analisar dados sociais e econômicos de uma população, estudar os ecossistemas, prevenir impactos ambientais e levantar informações sobre solo, relevo, recursos hídricos, vegetação, clima são outras possibilidades de atuação do geógrafo.

13 de abr de 2009

“A Geografia - isso serve, em segundo lugar, para fazer o Turismo”

“A Geografia - isso serve, em segundo lugar, para fazer o Turismo”
A ciência Geográfica é dinâmica, e acompanha as mudanças e anseios da sociedade em cada momento histórico. Como no início dos registros e descrições dos lugares e características dos povos recém descobertos, na coleta e análise de dados estatísticos, nas potencialidades de cada região em busca de recursos naturais, como atualmente o entendimento do espaço geográfico em suas múltiplas dimensões, no estudo das relações homem e natureza.
Quando Yves Lacoste publicou o livro intitulado com a frase celebre “A Geografia: Isso serve, em Primeiro Lugar, para Fazer a Guerra[1]”, responde a tais questões e alerta para as conseqüências que ocorrem nas populações atingidas pela “organização” de seus espaços, conclamando os geógrafos a assumir uma posição militante contra a instrumentalização da geografia pelos interesses estatais ou privados.
Atualmente percebemos o Turismo ascendendo como uma das mais promissoras atividades capitalistas, e categorias e termos de cunho geográficos também são apropriados por esse ramo econômico: paisagem, território, espaço, região, natureza, globalização, consumo, lazer, capitalismo.
Neste sentido características geográficas de vários lugares (clima, cultura, localização, relevo, idiomas, economia) são utilizadas como atrativo turístico, são referencias básicas para o turista interessar-se a visitar e conhecer esse lugar. Logo a explicação para a afirmação “A Geografia - isso serve, em segundo lugar, para fazer o Turismo”, diante da utilização e necessidade de informações geográficas para a atividade turística.
No entanto a ciência Geográfica não fica só no registro de informações pontuais dos lugares, é algo mais complexo, holístico, agrega todos esses fatores no estudo do espaço geográfico, seu objeto de estudo e análise, nas diversas relações da sociedade com o ambiente natural.
[1] LACOSTE,Yves. A Geografia: Isso serve, em Primeiro Lugar, para Fazer a Guerra.Campinas: Papirus, 1988.
[2] Organização Mundial de Turismo (OMT), uma agência especializada das Nações Unidas e a principal organização internacional no campo do turismo.

11 de abr de 2009

Gincana, a torcida!

A galerinha que fez barulho na torcida... parabéns pessoal!!!!!

10 de abr de 2009

Gincana Cultural

No dia 03 de abril após dias de dedicação e muito trabalho realizamos nossa gincana cultural. Os coordenadores do turno da manhã Profª Kátia, Profª Lina, Profª Marcelita e Prof. Tarcísio (eu) tivemos muito trabalho, no entanto não medimos esforços para incentivar nossos alunos a participarem. Modéstia a parte, nossa participação foi um sucesso!! agradeço a todos e a todas que nos ajudaram na execução das tarefas. Valeu! na foto estamos juntos com nossa Rainha da gincana, a aluna Luana do 2º ano. Parabéns !!!!

Uma escola que surpreende!!!!!!

veja os comentários que a equipe da Ctae fez sobre nossa escola...

Após a cerimônia de lançamento do Projeto Aluno Repórter e entrega do Kit Tecnológico Rádio Escola, a equipe da Ctae foi convidada a participar da cerimônia de comemoração do décimo terceiro aniversário da Escola Rio Caeté.

Ao visitarmos a Escola Rio Caeté encontramos, talvez, a mais organizada e bem sucedida unidade escolar da rede estadual do Pará.

O prédio é lindo e muito bem administrado pela diretora vermelha, que vem se mostrando uma das melhores administradoras de escola da rede estadual de ensino. Não é somente o prédio que é lindo, mas, principalmente, a sensação de pertencimento que a comunidade tem da escola. O sentimento de orgulho e compromisso com a educação que demostram o corpo docente, discente e toda a comunidade, os quais inovaram, inclusive, quando mandaram colocar outdoor na cidade e produziram um vídeo sobre a escola que foi veiculado na televisão local.

Gostaríamos que todas as nossas escolas fossem assim. Tivemos vontade de não retornar de Bragança!!!!

diretora_vermelha

A diretora vermelha

OBA - Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

A OBA é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e por FURNAS Centrais Elétricas S/A entre alunos de todas as séries do ensino Fundamental e Médio em todo território nacional.
Os alunos da escola Rio Caeté participarão entre os meses da abril e maio de atividades da XII - Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica - OBA - que este ano comemora o Ano Internacional da Astronomia. A primeira atividade que os alunos desenvolverão serão desenhos para o concurso de desenhos do ano internacional de astronomia, todos os alunos que quiserem concorrer podem participar ( os avisos e informes estão fixados nas salas). Este trabalho é mais uma iniciativa dos professores e gestão escolar que incentivam a participação dos nossos alunos em eventos educacionais desse porte, um reflexo que vimos na participação da escola na Olimpíada de Imformática, única na região bragantina e uma das poucas do Pará a participar. Os trabalhos da XII OBA estão sendo apoiados pelos professores e coordenadores: Iraci, Kátia, Lina e Tarcísio. Esperamos a participação de todos!!!! por Tarcísio Oliveira.

5 de abr de 2009

Contatos

Orkut: taolco@gmail.com
MSN : cisocosta@hotmail.com
Twitter: @TarcisioO_C 
fone: 91068566 /  82615379

1 de abr de 2009

Sobre mim

Olá! sejam bem-vindos ao meu blog.

Sou o professor Tarcísio, sou formado em Geografia bacharelado e licenciatura plena pela Universidade Federal do Pará, especialista em Geografia da Amazônia. Atualmente trabalho no quadro docente da SEDUC - PA, prof. AD-4, nas escolas EEEFM RIO CAETÉ e  EEEF LEANDRO LOBÃO, atuando nas disciplinas Geografia e Estudos Regionais ( comumente chamada de Estudos Amazônicos). Desde o início de 2010 faço parte do quadro do PARFOR no IFPA- BRAGANÇA - pólo SALINAS,  ministrando a disciplina Produção do espaço geográfico como professor bolsista pesquisador II...