14 de out de 2010

A geografia a partir do espaço.


Imagem extraída de: http://www.sat.cnpm.embrapa.br/
 A Geografia é um campo de conhecimento que sempre surpreende por seu leque de possibilidades e por sua proximidade com diversas áreas, como a História, Sociologia, Biologia, a Matemática e até mesmo a Física. Durante o bacharelado, algo que sempre despertou minha curiosidade foram os estudos relacionados ao Geoprocessamento e a cartografia de modo geral, que, aliás, apesar de ser fundamental para as representações espaciais e estudos técnicos do meio, não é um objeto de uso exclusivo da geografia, mas que é algo realmente apaixonante e interessante.
 Para se entender melhor do que se trata, basta se perguntar como são feitos os diversos mapas temáticos  de população, relevo, hidrografia, clima, vegetação, desmatamento e etc...contidos nos livros didáticos, jornais, revistas,  almanaques e uma variedade de outras fontes. Além disso tudo, podemos também nos perguntar como são captadas as imagens de satélite, as ortofotos, as fotos aéreas e outros.

http://www.cpap.embrapa.br/agencia/images/cheia_100.html

Trata-se do uso dos SIG’S ( sistemas de informação geográficas ) que requerem amplo conhecimento da matemática, física, informática, engenharia e claro também da geografia, para seu uso, que podem servir para estudos nos campos da biologia, geologia, engenharias e etc...

Uma peça fundamental no uso dos sig’s é o computador, somado aos inúmeros satélites existentes no espaço, e que possuem funções diferentes de acordo com o objetivo com que foram lançados. No Brasil, por exemplo,  temos os CBERS,  que servem para monitorar recursos terrestres, mas existem outros com uma variedade de funções, desde o auxílio para bases cartográficas aos espiões e de monitoramento do clima.

6 de out de 2010

África, o continente da Diversidade.



o continente africano é conhecido pelas suas belezas naturais e mazelas sociais. Porém, o que encontramos de imenso neste continente é a diversidade física e sócio-econômica, pois existe neste espaço desde extensos vales férteis, até desertos gigantes como o Saara e o Sharel. O contraste da pobreza e riqueza também é visível por todo continente, principalmente pelas péssimas condições de vida em muitos países.
Em conseqüência a esta diversidade, não é tarefa fácil dividir a África por regiões devido a sua heterogenidade. Porém, foram definidas duas formas de classificação regional: as questões físicas (localização geográfica) e questões humanas (cultura/ocupação) que estudaremos neste 3º bimestre em Geografia na 7ª série. E atenção crianças, este ano o tema de nossa feira de ciências será...  África!!!! então vamos aproveitar ao máximo as aulas que em muito ajudarão no desenvolvimento de projetos. No próximo post colocarei mais orientações para a produção do nosso "Guia Turístico da África" como propus aos alunos da  701 e 702 da EEEFM RIO CAETÉ.

Mapa extraido de: http://www.google.com/images
Ao visualizar um mapa da África, pode-se ver que dividir o mesmo por regiões a partir da sua localização espacial nos sentidos Norte, Sul, Leste e Oeste é bem possível. Dessa forma, classificaremos o continente em 6 regiões distintas quanto a sua posição geográfica: África do Norte ou setentrional , África  Ociedental,  África Central, África Oriental, Sul da África ou África Meridional e as Ilhas do Índico.



Aspectos Sócio-econômicos
Agora, analisar a África destacando suas características culturais, promove uma divisão bem diferente da anterior. Por esse aspecto classificamos a África em duas regiões: África “branca” (cultura árabe) e África “negra” (culturas locais).
Isto é possível em virtude da influência que a região norte da África (árabe) sofreu da ocupação dos povos do Oriente Médio (Ásia) , tendo como resultado um espaço totalmente adverso da África “negra”, sendo esta última caracterizada pelas culturas regionais provindas de milenares tribos africanas. Também é possível destacar a própria cor da pele dos africanos nessas duas regiões: os descendentes de árabes possuem uma tez clara, em grande parte, enquanto que os africanos relacionados com as culturas tribais já têm uma cor mais negra.


Mapa extraido de: http://www.google.com/images

4 de out de 2010

O futuro da Amazônia?

http://www.geografiaparatodos.com.br/img/infograficos/devasta_amazonia.jpg 


Essa é uma projeção do futuro amazônico, graças a intensificação da ação antrópica na região. isso tudo se deve, principalmente, a atuação de grupos empresariais nacionais e internacionais que tem visto a floresta e suas riquesas como fonte de lucros e negócios, ao estilo "negócio da china". Para se ter uma dimensão do quanto são gigantescas essas práticas, basta analisar o esquema acima e não criminalizar as suas "simples" e tradicionais populações que nos tem muito a ensinar sobre um estilo de vida harmonioso entre homem e natureza, mantendo uma sustentabilidade que deve ser entendida e divulgada.

Tarcisio Oliveira

2 de out de 2010

Censo 2010




Este ano está sendo realizado mais um censo, que já tráz novidades sobre o perfil da população e da sociedade brasileira. A expectativa de vida vem aumentando gradativamente, bem como o quantitativo populacional, o número de habitações, a renda e a população idosa.
Por outro lado a mortalidade infantil, a natalidade, a fecundidade e o quantitativo de jovens até  24 anos sofreu redução, o que evidencia o novo perfil do brasileiro. Leia mais!

O Censo é a principal fonte de dados sobre a situação de vida da população nos municípios e localidades. É através dele que são coletadas informações para a definição de políticas públicas em nível nacional, estadual e municipal. Os resultados do Censo também ajudam a iniciativa privada a tomar decisões sobre investimentos. Além disso, a partir deles, é possível acompanhar o crescimento, a distribuição geográfica e a evolução de outras características da população ao longo do tempo. Daí vem a importância de a população responder ao Censo: é através dele que a sociedade poderá calcular quantas escolas, hospitais e outros equipamentos públicos são necessários em cada localidade, bem como que obras de infra-estrutura são necessárias. Também com os dados do Censo, a iniciativa privada poderá planejar seus investimentos, como a seleção de locais para a instalação de fábricas, shopping centers, escolas, creches, cinemas, restaurantes etc.
Fonte: www. ibge.gov.br